A EXISTÊNCIA É IMPORTANTE

548762_401798233229273_1542317558_n

É nossa necessidade de algo mais aprender.
De algo resgatar para o progresso entender.
De viver para tentar não mais morrer.
Para a eternidade por fim conquistar.

A vivencia, necessidade, convivência, a complexidade do por aqui mais uma vez passar para compreender o que se está estudando.
O porquê ter de mais algo entender, algo mais saber para não ter de aqui voltar desta mesma forma.

Nascemos chorando por medo do que aqui encontramos; da mesma forma que tememos nosso partir quando desencarnamos; não nos lembramos do que lá tem.
Sucumbimos a tentações e sensações que gostamos, mas não nos é aconselhável, é nossa maneira de algo recordar, e sermos também tentados a colocar o que de ruim temos que eliminar.

Tudo questão de emoção, se soubermos corretamente compreende-las e dosa-las, pouco sofreremos neste mundo; e muito mais, entenderemos que é de emoções que sofremos todas as encarnações, doenças que temos, e angustias todas.

Emoções que não sabemos controlar, e neste se perder temos que nos entender.
Para que aos poucos em crescimento continuo e lento, possamos nos administrar ao sofrer, possamos nos compreender como seres manipuláveis pelo coração; não que seja mal, apenas não controlamos, não vivenciamos o que é bom e misturamos com o ruim.

Não compreendemos o que estas emoções maléficas a nosso corpo mental fazem, e acabamos por trazer ao corpo físico o que tem de ser apreendido.

Se aprendermos a dosar o emocional, muito além do que nossos conhecimentos primitivos possam nos dizer, não mais sofreremos de pesadelos, insônias, doenças nervosas, cardíacas, emocionais, de pele até, pois se estivermos resguardados em sabedoria, nossa proteção física estará também forte, e nenhum mal nos atormentará.

Entenderemos que o emocional divino é só amor fraterno, ao próximo e a si, não no sentido egocêntrico; mas se amar para amar ao próximo, no momento que se entender que a vida ensinada pelo Cristo é paz e harmonia, teremos a felicidade interna de nosso corpo, e todos os males serão compreendidos e sanados sem remédios, com nosso poder de cura, que foi esquecido no passado quando nos entregamos aos malefícios das emoções negativas.

Ao desejar viver intensamente, porém alimentando o baixo nível emocional desta necessidade, passamos a vivenciar rancores, ódios e tudo mais que acompanha este tipo de energia que passamos a criar.

O sabor do prazer de baixo nível foi criado, quando não mais o ser vivente podia sustentar a felicidade em mesmo nível indefinidamente.
Procurou meios mais superficiais de prolongar esta emoção; e se desiludia quando não conseguia.
Isto é parte da descoberta das falhas humanas, necessárias ao crescimento, ou mais precisamente a arte do universo em nós.
E nos entregamos integralmente ao prazer das emoções de baixo nível.
Com a criação destas energias de baixa vibração, o corpo etéreo, protetor de nosso universo interno não suportou tanta carga gerada por nossa vontade, e passou a diminuir seu poder de proteção, nos deixando a mercê das energias que geramos; e que aos poucos passou a impregnar o corpo físico e emocional; gerando as dificuldades que eram necessárias ao crescimento como espirito de luz, passamos neste ponto a vivenciar o lado negativo da vida, e a morte espiritual constante, até o momento em que o lado emocional do ser humano possa novamente reinar.

Esta coerência é complexa colocação, visto que o mundo só vive de emoções flutuantes, de sensações que dão prazer intenso, mas de gerador matéria (produzido pelo prazer carnal, e referente unicamente a este plano) e sensações que dão tristezas profundas, levando ao falecimento do poder de regeneração dos sentimentos divinos.

Coerência interna sobre tudo isso é mera tentativa de se descobrir como entidade viva vinda de Deus, e que procura no Cristo interno as verdades sobre tudo isto, que exposto não se pode entender desde que aceite ser uma pessoa em deficiência emocional divina.

Salvar o emocional divino, que traz a vida eterna, é trabalho paulatino e de sofrimento prolongado, que muitas vezes envolve o mais penalizado dos corpos, o carnal, por não nos permitir vislumbrar nenhuma destas verdades, e em segundo o corpo espiritual; que tem por finalidade colocar o emocional como prioridade a ser controlada, com objetivo do crescimento.

Controlar as emoções, que tem de vir de dentro, de coração pacífico e não de dedução lógica, é imprescindível para alcançar a sabedoria e entendimento de tudo que exposto em relação a vida eterna, ou mesmo a felicidade profunda.

Compreender isto é o primeiro passo ao entendimento da redenção, a liberdade do corpo de nosso próprio julgo de sofrimento, o desespero de se punir inconscientemente pelo que fez, simplesmente assumir que o fez, que havia um propósito, que foi alcançado e agora é momento de compreender tal experiência passada, e tê-la como tesouro de aprendizado, e não vivencia-la eternamente.

Toda questão de compreensão, de aprendizado no controle emocional, não alimentando o que de ruim os pensamentos treinados a encarnações muitas têm praticado, é vivenciá-las, porém não lhes dar alimento energético para sobreviverem, ou seja, se apoderar de nossa mente com poder de destruição, que é o objetivo destes pensamentos.

O poder que lhes é incumbido afim de nosso carma ser queimado, o tal fogo do inferno, este fogo só tem poder e vida se nós lhes alimentarmos com toda esta lenha emocional; caso contrário se extingue e aos poucos passa a ser tolo pensamento a nos perturbar.

O início do aprendizado desta técnica que bem colocada leva a vida de felicidade plena, é de difícil compreensão se a pessoa envolvida se dá a picuinhas verbais, físicas, ou até mesmo mentais, teria então de abandonar o prazer que se tem neste cotidiano.

Deveria entender como errado esta forma de manter o pensamento; e aos poucos abolir tudo que em sua mente alimenta de mal.
Passando a uma luta intensa contra sua centenária forma de pensar negativamente, sinais impressos à encarnações, e que não sairão com facilidade, a menos que se entregue realmente a oração ou desejo intenso de ser bom, sem ódio, rancor ou desejos de vingança; parte delicada de entendimento, pois sempre foram em lembrança desta forma, e os outros “bons” são tolos, e o meu Deus é melhor que o seu, tudo forma de se defender de implicações, que de outras pessoas mais entendidas ou vivenciadas nestes problemas possam vir.

Porém tudo é maneira de tentar se explicar, de dizer não ser ela uma má pessoa, apenas o mundo não a entende, “o mundo está errado” e nesta forma torpe de pensar, se afunda mais em pensamentos negativos, em sensações maldosas e doenças físicas e emocionais, que passam a ser mais frequentes, levando mais devedores cármico por conta de emocional em vidas passadas a dores e doenças as mais penosas.

Claro está que o envelhecimento traz dificuldades ao corpo de se manter, porém não traz doenças terríveis que com o passar dos séculos o mundo humano desenvolveu.

É uma compreensão que temos de ter, o plano terreno fica mais violento por emocional individual de cada ser humano, e esta violência alimenta este emocional, e neste círculo vicioso os que em sensatez adotaram a verdade absoluta, se sentem emocionalmente pacíficos, e neste sentimento não alimentam pensamentos maldosos, por conseguinte não vibram energias pesadas e nem sobrecarregam seus corpos, trazendo dores e mal-estar vindo de todo este sofrimento.

POUCA INSTRUÇÃO

5

A pouca confiança do ser leva a desconfiança do saber; entende-se que quem pouco estudou pouco sabe, e quem pouco sabe nada entende, portanto na visão dos estudiosos; ignorante é todo aquele que nada estudou, e desta forma é resignado aquele que pouca chance na vida teve de aprender, a uma pobre pessoa a migalhas da vida profissional tomar, por conta de sua pouca instrução acadêmica; porém não se pode ver desta forma tosca as variantes de uma pessoa.

O grande saber não vem de faculdades e livros, porém de sua visão, seus cinco sentidos que são aprimorados para um entendimento que poucos conseguiriam admitir. Não saberiam dizer de onde pode este ser, adquirir conhecimentos que são reais, porém não estão registrados em nenhum curso de especialização.

É a faculdade do ser em compreender o que vê, pouco se importando se estes ensinamentos estão corretos dentro dos parâmetros de instrução ou não; é o aprender e utilizar por entender que estão corretas estas colocações.

Sua visão do mundo é diferente, mais aguçada, mais profunda e muito além de outros, não vem de uma inteligência cultivada nesta vida, mas já florescendo que foi plantada em outra; não precisa de maturação, apenas de refinamento do que sabe ver, um nobre momento para se pensar nos que em pouca instrução sabem muito mais que outros catedráticos e doutores, que a duras penas decoram formulações, e estes nunca souberam destes experimentos que manipulam tão bem, apenas sabem com larga vantagem sobre os estudiosos.

Isto é coroação de um aprendizado árduo de uma vida passada, um resquício do bem que possa ter realizado, ou mesmo um aprendizado para futura colocação mais preciosa no futuro.

Se nada acontece por acaso, por um motivo que possa ser até aos mortais de instrução regular uma vantagem; pessoas que são preparadas a este nível, se deixam serem usufruídos em tudo quanto possa repassar, porquanto estes que são realmente sábios desconhecem os defeitos do axioma “ismo” por não pratica-los, por estarem evoluídos ao ponto de compreender que egoísmo, egocentrismo entre outros, são prova de involução; que se procuram a verdade eterna, não devem se prender a tolas colocações emocionais, a pobres predicados que tanto prejuízo já deu a humanidade; os nãos estudiosos convencionais são aprendizes da vida, e nunca assumiriam ter tirado um diploma; jamais se sentiriam formandos pela faculdade da vida, porquanto esta só será concluída quando não mais precisar vir por carma a resgatar, até lá são meros aprendizes e instruem quem a seu lado pedir uma informação.

São eternos estudantes encarnados, porem seres de índole irretocável; que mesmo em deslizes como todo ser humano, sabem estar errados e ao perdão se lançam em pedir.

SOMOS A PROMESSA A SER CUMPRIDA

WIN_20140220_141715

Por entre camas e beijos me procuro, a procura que sinto não estar.

Por entre situações avessa da minha vontade me encontro, mas não sou eu, sou personagem que tenta sobreviver, mas não existe, e acaba por perecer.

Por entre outras tantas me envolvo e me perco mais ainda, quando em verdade deveria procurar a luz que estou a implantar. A luz que para mim deve ser guia cada vez mais de mais clareza.

Mas me perco na procura do que não é deste mundo neste mundo; vivendo o que deveria ser eu, mais coerente com meu desejo; me ponho a me manipular ao invés de aproveitar os frutos que desta arvore aos poucos estão a alimentar cada vez mais pessoas.

Sou o que sou, mas preciso me lapidar, me tornar mais eu, mais o que desejo ou o que deseja de mim a mente superior, e parar de me procurar por entre lençóis, braços e pernas outras.

Tenho razões sem razão, explicações em explicação, e nas tantas entregas infrutíferas de me achar onde torço estar, desiludo-me, perco-me, levando muito para depois me encontrar e colocar-me no caminho devido.

É a vida que escolhi, que resolvi para mim colocar, e me sentirei muito além do que possa imaginar no futuro, muito melhor do que possa qualquer um imaginar.

O bem-estar que me espera, se desvencilhar-me das dificuldades que procuro colocar para mim, se procurar me encontrar longe de outras pessoas, e sim na clausura de meu ser.

E quando isto conseguir ao mundo poderei me lançar com formosura e fortaleza, de não ser vencido por nada, ninguém nem por mim.

Tudo faz parte da vida escolhida, e mudar isto durante o trajeto é performance que trará tragédia, que fará perdas irreparáveis porque não será cumprido o prometido.

Pensamentos para o dia, sabedorias para a vida.

486546_103899503087659_1894995970_n

Tudo quanto duvidas é lampejo de aprendizado, vontade de um segredo a mais ser desvendado.

Quanto mais souberes de ti mais duvidarás, porém mais quererá saber e mais aprenderá.

De todas as verdades; as que mais aguçam são as que não conseguimos responder, por não nos ser permitido por falta de conhecimento ou despreparo de nosso interior no momento.

Na procura do interior sábio nos perdemos em divagações, uma perda de tempo, ou o caminho já sendo trilhado?

Tudo em nós é realidade a ser desvelada, obscuridade que mantivemos por encarnações a serem agora desvendada; pois esta é a hora de tudo isto se integrar aos conhecimentos compreendidos.

Tudo que de seu interior venha em flash é verdade absoluta a ser anotada e compreendida; é o mestre interior a ensinar, a orientar.

Em tantas contradições nos perdemos, em tantas inverdades lançamo-nos, porém no final tudo é compreendido e o inútil lançado fora; e em todas as situações alguma lição deve ser aprendida.

Detemo-nos muitas vezes a pensar como fazer e realizar, porém não nos lançamos no começar para perceber se os planos são reais ou sonhos a nos mistificar.

Grande é nosso poder, pequeno nosso saber; e nesta colocação perdas irreparáveis cometemos no transcorrer de nossas existências.

Se muito sabes, tudo deve repassar, porquanto não lhe foi dado sabedoria para ser levada a tumba.

É grande o poder do Supremo, é grande o desejo em ter este poder, mas não somos sábios para merecer um décimo de tudo quando poderíamos almejar.

Tudo tem um porquê e um pra que, e nestes enigmas nos perdemos, ou achamo-nos se formos sinceros com a sabedoria universal.

É a intenção, a verdade, a comoção, sensações a bater fundo, a balançar o entendimento dos que não sabem pensar coerentemente.

Procurando sempre encontraremos, encontrando sempre entenderemos, e se nada fizermos nunca nada seremos.

Uma luz, uma verdade, a realidade do saber viver, a compreensão deste mundo a nos manter, o desejo de um dia dele sair, porém o momento é sempre indesejável por ser com dor e sofrimento; uma doença a nos sucumbir.

Tudo aqui é invariavelmente planejado perfeitamente, tanto que nosso carma é sempre lançado a nos redimir, embora não saibamos a oportunidade aproveitar.

Acompanhados sempre estamos por quem nos foi designado, o anjo da guarda a fazer nosso carma, cumprir na proteção que devemos ter, no entendimento que devemos manter, para no dia da partida ir sem nada temer.

Facetas do mundo procuramos compreender, porem nosso entendimento é diminuto, pois o que aprendemos no passado tivemos de esquecer, por não serem entendimentos corretos.

A procura de Deus por toda parte, mas nunca localizado por não estar em pessoa em local nenhum, somente em nosso intimo se mostra e prova ser quem é.

A fantasia do poder, do conseguir para mais de ninguém precisar, conquistar arduamente para um dia tudo aqui abandonar.

Amemo-nos insistentemente, mesmo que não nos achemos dignos de tal, só assim seremos salvos pelo Cristo que em nós existe.

Da fé nada a acrescentar, porque é a realidade que nos mantém, a certeza que nos retém na vida correta, o insistente pensar que tudo pode mudar e assim acontece se neste sentimento nos mantivermos.

No amor sempre algo mais a dizer, porque é infinito, é completo e insinuante ao nosso poder de amar ao próximo e a nós que é o Cristo.

Tudo é poder neste plano, tudo é amor no plano acima, e temos neste entendimento viver procurando o que lá tem valor, para valorizar o que aqui tem.

Acreditar, viver, amar, sempre entendendo que somos uma parte do Uno, a realidade que concebemos e temos de aceitar, a invariável possibilidade de Deus em nós ser existente.

Tudo finda, desde os sonhos mais lindos, as mentiras mais absolutas e os desejos mais sublimes, porém a verdade divina não muda jamais, se transmuta em nosso conceito, em nosso entendimento, mas continua a existir sempre.

No amor nos perdemos por querermos assim viver, na existência nos acomodamos por não saber de outra forma viver.