O MESTRE E O LÍDER ESPIRITUAL

O MESTRE E O LÍDER ESPIRITUAL

O mestre mostra o caminho, porém não nos acompanha.
O líder espiritual não nos leva por este caminho, nem o mostra.

O mestre entende que devemos desvendar os meandros do caminho.
O líder sabe que não pode mostrar estes meandros.

O mestre nos põe a prova a todo instante, para testar nossa fé.
O líder não faz isto, sabe que seus seguidores têm uma fé insegura.

O mestre sabe das necessidades de seus instruídos.
O líder sabe unicamente de suas necessidades.

O mestre não foge de indagações, e sempre tem uma resposta, e se não tiver, é por decidir que o aluno deve procurá-la dentro de si.
O líder sempre tem uma resposta, porém não pode ser contestada.

O mestre é um iluminado, não teme ser superado em conhecimentos por seus alunos, porque sabe ser do mestre a missão de preparar estes para superá-lo um dia; porém esta não existe; o mestre não acredita que traga crescimento, apenas competição.
O líder tem conhecimentos, e manter seus seguidores sem estes é primordial; para que não perca a liderança; sabe que conhecimento é limitação quando se trata de Deus; e iluminação é superação de horizontes a todo instante.

O mestre sabe sempre o melhor para um aluno, mesmo que em sofrimento esteja, e entende que desta situação precisa para algo aprender, o mestre não aliviará sofrimentos, mas dará indicações de como amenizá-lo se for de seu destino eliminá-lo.
O líder sabe que o sofrimento de seus seguidores é combustível à sua liderança; entende que se eliminar estes obstáculos não precisarão dele no futuro.

O mestre respeita outros mestres, entende que a sabedoria não pertence a ninguém; é de todos, e a conquista desta é por dedicação e sinceridade com o plano superior.
O líder vê em outro líder uma concorrência na conquista de seguidores, e seus conhecimentos que são inseguros; sente que pode ser prejudicado ao ser indagado por este novo líder, e se deixar em dúvida quem o segue, perderá poder.

O mestre não sabe o que é insegurança, porém se a sente não teme, enfrenta para entender do porquê esta dúvida, e fica mais sábio quando desvenda o que atormentava.
O líder sente insegurança a todo instante, porque suas respostas suprem parcialmente a si, e no receio de ser indagado, torna os conhecimentos de quem o segue complexos ensinamentos; onde estes não saberiam responder a qualquer pergunta com as próprias palavras.

O mestre não se formou nesta encarnação; não conquistou adeptos por suas palavras ou conhecimentos; este veio se preparando a muito tempo, e os que o seguem foram colocados pela divina providência, para que no futuro sejam mestres também, e tenham seus seguidores; deixando assim uma regra rígida, onde só os realmente sinceros e humildes, podem seguir e serem seguidos.
Os líderes se formaram nesta encarnação, ou vieram preparados para desvirtuar os de mente fraca, aqueles que não acreditam verdadeiramente; materialistas inconscientes ou que estão em grau de involução; porquanto estes não sabem raciocinar se está certo isto que Deus coloca, ou que o Cristo disse.

Mestres não precisam se explicar a ninguém, se não entender de suas atitudes que são sempre corretas, é porque não está preparado para segui-lo.
Líderes não se explicam porque lhes mostraria as falhas humanas, e a principal, de não ter sido escolhido para ser um mestre; alimentar o desejo de ser líder, colocando ideias unicamente suas em cabeças, que não tem poder de dedução.

O mestre conhece o poder da palavra e respeita este poder; sabe que muito pode se construir ou destruir através dela.
O líder tem o dom da palavra, e não sabe como conduzi-la no real benefício dos que a ouvem.

O mestre se propõe ao crescimento de seus seguidores, entende que falhas são coerentes por estarem à procura de si em si, e respeita seus erros, que mesmo sabendo infantis, muitas vezes não critica; analisa e tenta alertar sem obrigar que seja obedecido; porque desta forma que todo estudante na sabedoria universal tem de ser; um analista de tudo quanto lhe chega aos sentidos físicos ou não.
O líder não colabora com o crescimento de seus seguidores, apenas os orienta no que devem fazer para conseguirem o que desejam; porém lhes passa os benefícios, no que tange ao progresso material; sem especificar o que é a verdadeira salvação.

O mestre sabe das orientações do astral superior, porque entende os sinais que lhe chega, repassa tudo que é confiado e permitido ensinar; não se arrepende desta atitude, porque se lhe foi confiado tantos detalhes, deverá no devido tempo e na coerência dos neófitos a seus cuidados e sua condição de aprendizado, repassar estes conhecimentos; sabe que quanto mais instruir mais será instruído pelo divino astral.
O líder pouco sabe do mundo invisível, apenas deduções muitas vezes sem sentido; porque não elabora conjecturas, não se lança a teorias e teme explorar os conhecimentos que lhe chega, por crer colocarem em risco o que sabe, entendendo que pode cair em contradição, se permitir muitos conhecimentos serem levados a seus seguidores, sem que tenha respaldo para dar suporte a possíveis dúvidas que surjam.

O mestre toma todo novo conhecimento, e o processa para utilizá-lo futuramente, se este for necessário e coerente no momento que se apresentar.
O líder toma todo novo conhecimento e o elimina por não visualizar coerência no que aprendeu, porém compreende que nova informação que assumir, mas não conseguir dominar completamente, coloca em risco tudo quanto tenha conquistado até então.

O mestre vê em cada horizonte, possibilidades de se aprofundar em suas teorias e modificar verdades já solidificadas.
O líder não vence horizontes se julgar insegurança de seus conhecimentos duramente compreendidos; pois quando da formação destas teorias, teve de ignorar muitas informações para chegar a alcançar este estágio; que entende ser frágil se corretamente inquerido.

O mestre é um líder nato, sem que procure conquistar aos que o seguem; não precisando agradar com palavras ou atitudes, simplesmente porque os faça bem, estes carinhos.
O líder precisa conquistar seus seguidores, para que continuem lhe seguindo; muitas vezes com temor da derrocada espiritual, se não o ouvirem em suas colocações espirituais.

O mestre é sábio conselheiro; procurando soluções que caibam exatamente no individual de cada ser; entendendo que todos têm carmas diferenciados, e desta forma um conselho sábio a um, pode ser derrocada a outro.
O líder tem um mesmo conselho para todos que julgue estar com o mesmo tipo de problema; porém não compreende as lições que cada indivíduo tem de aprender, que cada estudante sua lição a desenvolver, e se for mal orientado nesta tarefa, trará a este, prejuízo que pode se estender além desta encarnação.

A segurança do mestre se baseia em sua visão metafisica da situação, não levando em conta possibilidades deste plano, não generalizando pessoas ou problemas; se coloca como visionário analisando cada prioridade e suas consequências, e prevendo que por algum motivo, a divina providência está desta forma atuando; trazendo conflitos que julga desnecessário ao aprendiz, porém é uma aula a ser desenvolvida que não foi compreendida no passado.
O líder se baseia no que entendeu do santo livro, não aceitando ou se limitando a falar apenas o que sua inteligência permite; não se entregando a divagações que as entrelinhas Bíblicas trazem; não aceita também outras obras a acrescer conhecimentos sobre a palavra de Deus, entendendo que estes incorreriam em horizontes complexos demais a serem explorados; muito além de sua capacidade, ou de seu controle como líder, que diz entender tudo sobre a obra do Criador.

O mestre sempre sabe o que diz, mesmo que se perca em palavras em meio a suas explicações; neste momento é o divino astral tomando-o como interlocutor para trazer ao ouvinte, informações que só este entenderia; ficando vetada a completa compreensão das informações, porém o mestre irá somar mais este conhecimento a sua sabedoria, pois mesmo que as informações sejam de cunho individual, há nestes ensinamentos, dados que o mestre desconhecia; e que com o passar do tempo lhe trará mais autoridade sobre o que manipula; a aproximação das verdades divinas dos seres que as procura para sua própria evolução.
O líder apenas sabe o que aprendeu; se aprofunda no que entende, porém não vai muito além; se acomoda neste saber, por não estar preparado para se lançar a conhecimentos espirituais mais complexos, é o materialismo que em si impera, que impede de progredir no aprendizado por não ter boa índole para ouvir e valorizar corretamente o que é passado.

Mostrar Comentários

Tenha as últimas postagens em seu e-mail.