A NATUREZA DO CONHECIMENTO

549037_516946031688086_1744776654_n

Na doce quietude da noite, meu corpo se espanta, se move, encanta. Na paz que vem do sereno noturno, minha mente como que em transe se torna mais leve, mais afável às verdades do mundo que durante o dia são imperceptíveis.

Reluto em querer dormir, pois sinto que este é um momento de boa reflexão; sabido que no silencio noturno as mentes se transformam em ótimas antenas captadoras do cosmo interior.

Relevo nestes instantes de transcendência noturna as maldades de que fui vítima, e que fui mal compreendido. E por instantes, numa modesta forma de agradecer esqueço tais brutalidades contra minha pessoa física ou espiritual.

Torno-me apenas mais um que não dorme, mas que em silêncio movimenta energias em prol do conhecimento que vem do além, se tornam presentes em minha mente, e aos poucos em minha vida.

Sei que ignoro as notórias verdades ditas corretas pelos homens sábios no aprendizado do correto saber.

Mas afinal meu mestre não é deste plano, somente minha sala de aula que é…

Então me curvo calmo às sabedorias terrenas, apenas para não ter atrito, porém minhas verdades vêm do alto, de cima da minha cabeça, do chacra coronário, e meu corpo sente esta notável energia.

Acalmo-me e sinto leveza, um sono que se vai para dar lugar à serenidade do doce momento que se inicia. Acalmo-me, relaxo e entro em sintonia.

Observo os instantes que me trazem as verdades que sempre soube existirem. Faculto meu conhecimento em pura verdade de vida, de sobriedade moral e emocional; criando assim o salão para estudos das realidades não compreendidas, mas verdadeiras deste plano.

Ao relaxar de meu corpo em quase transe, noto que ele se sente bem e familiarizado com o cardápio do relaxamento. Como um “Q” de saber que está na hora da viagem do conhecimento.

Nos momentos que estou em minha sala particular de estudos, sinto calma deliciosa em todo meu ser, é o alpha bíblico que Jesus, o Cristo sentia no som do bater de meu coração, que é ouvido por minha mente; revejo minhas tristezas e as perdoo, revejo meus rancores e os absolvo, assim como faço com os agressores que os praticaram.

Na fase mais profunda de minha viagem sinto a presença de alguém, é meu Cristo interno que levemente se mostra; uma doce verdade que um dia se tornará realidade.

Sua existência em mim sempre foi eterna, porém me recusava admitir sua morada, coisa de ignorância inocente.  Sei que praguejava muitas vezes contra mim, mas era irá tola.

Em verdade vivenciava meus erros, e tentava de forma violenta me redimir, causando desamor a mim, na verdade nunca conseguindo.

Aos poucos noto que minha irá é perda de bom e útil tempo; um desgaste inútil de forças contra mim mesmo. E no avançar dos minutos neste estado de torpor, vejo que sou um universo; uma dádiva de grande e poderoso valor. Presente do divino que até hoje não soube corretamente aproveitar.

Refaço minha opinião dos acontecimentos e uma nova maneira de encara-las. Tentando assim de maneira cada vez mais sábia entender-me; e ao mundo que me rodeia.

Sei que não é o mundo que muda, mas sim o nosso entender sobre ele, que o torna diferente e mais acessível ou não.

Não transgrido meu modo de pensar, apenas me reservo no direito de compreender melhor certas circunstâncias não compreendidas.                        

Volto a dirigir minha vida, porém de maneira menos torturante a pessoas que convivem comigo através de minha nova compreensão. Faço por merecer o que mudei. Então me presenteio com esta nova atitude.

Por fim transformo a noite de sono que se poderia julgar perdida; em momentos de profunda reflexão, e bons atos de amor a mim; no simples sentir meu respirar passo a meditar; gesto de fácil execução que muito prazer divino traz, em alegria converte meu corpo, minha mente e espirito.                          

Sentir a natureza pulsar no corpo, ouvir a terra pulsando em nossa pele, sensível e amável.

Este é o contato com o divino, o bem-estar de estar em silencio e ouvi-lo, de estar em contato com meu corpo, meu respirar e senti-lo. Pois nosso corpo pertence a Ele, nossa mente pertence a Ele, e através desta simples atitude do meditar, sua presença divina se faz notar, e nos enriquece de benfeitorias corporais.                                                                        

No tempo que nesta atitude me empenhei, nada de meu tempo foi desperdiçado.

A noite utilizada, e os dias que na sequencia virão, serão por demais valorizados por estes momentos; minha vida em qualidade se harmonizará, porque com minha essência voltei a comungar.  Adotei há anos o mestre Jesus como único conhecedor de minha existência.  E desta forma a Ele sempre dedico alguns momentos diários.  Ouço conselhos no silencio do meditar. Escuto broncas de meus erros e as assumo, mas a felicidade dos momentos com o mestre é sempre presente.

Atitude que aconselho a quem quer crescer dentro de si, a quem quer ser verdadeiro consigo mesmo. Ter sua natureza humana valorizada por si e por outros que o conheça, é a meditação do silencio com o Mestre interior, o caminho para as verdades que não conhecemos, mas nos é cobrado. Valorize a ti, e o mundo lhe valorizará pelo que a ele transmitir. Faça de uma noite não dormida um lucro interior de grande valor.

A LINGUAGEM OCULTA

1000360_644922618893557_1052495357_n

Ó obscuridade pragmática que em nossa mente obtusa, por culpa nossa está a fazer-nos pensar incessantemente no que estamos a todo dia cometer; nas atrocidades que mesmo sem notar, sem se conter executamos; nas formas loucas e insanas de levar o que achamos natural e correto; na maneira obscura que pensamos do ente ao lado, parente ou não, no irmão que encarnado está a sofrer; sem ao mesmo saber se é de sua cruz mesmo, que sem levar a cabo suas vontades é declinado de seus desejos e necessidades, proibido de dizer, de fazer, de entender e de estudar para assim melhorar.

Ó praticidade de nada se fazer para melhorar, apenas levar o que nossos pobres sentidos nos fazem crer no que viemos apenas entender; de forma falha que somos perfeitos às nossas vistas, pois que de um astral superior estamos a nos encontrar em nas próprias debilidades de entendimento e sabedoria, que estamos a refrear emoções impuras que nos envenenam a mente com informações, que muitas vezes passam desapercebidas do entendimento; a insana realidade de um dia após outro, em que não se entende plenamente este dia nem o porquê de outro diferente e estranho; o porquê de vivenciar muitas pessoas e mentes invisíveis a bombardear-nos com energias impuras de pensamento, que nos enfraquece neste tom de agir, neste tom de sobreviver.

É estar mergulhado nas energias proféticas de uma sabedoria que não conseguimos ouvir; e tentar sobreviver sem nada ver, sem nada sentir, sem nada querer conduzir, por não entender o que se está a fazer neste mundo.

É a linguagem complexa do mestre a nos intimidar para melhor poder entendê-lo.

AS PALAVRAS

rei-salomc3a3o

Não precisamos falar a Deus, precisamos ouvir suas palavras, não precisamos nos colocar a frente Dele, deixemos que ele se coloque a nossa frente, pois quem mais precisa ser ouvido somos nós e só seremos ouvidos ouvindo ao Pai, ouvindo nosso interior que sempre sabe das coisas para nosso bem-estar.

As palavras salvadoras muitas vezes vêm de bocas encarnadas que nem sabem o que estão falando a nós, que não entenderiam que uma anedota, seria a pista para um problema grandioso em nossa vida.

Coisa estranha de se dizer, mas é uma verdade, o Mestre não nos fala somente através de sonhos ou orações, nos fala por outros que de alguma forma são colocados à nossa frente, e em meio uma frase bem colocada ao nosso coração, nos sugere a solução, a explicação, o entendimento de algo que muito nos perturba.

Somos descrentes neste tipo de acontecimento, acreditamos que o Pai ou o Mestre virá a nós pessoalmente e nos dirá.

Porém não notamos que leis da física são criadas por Deus também, e não podem ser modificadas nem mesmo por Ele, pois perderia seu crédito diante de sua criação matéria. Então nunca um ser divino terá corpo matéria por surgimento do nada, apenas de encarnação.

O que podemos ver é a imagem ectoplasmica de nossa própria produção, aí o Mestre pode se tornar visível, mas não tocável, porque ele não está em matéria a nossa frente, não está presente; mesmo porque ele em espirito não se manifestaria desta forma, e sim aos que o entendam; que o compreendam ao ouvir os próprios pensamentos, mas somos imaturos nesta forma de conversar com Deus; não éramos.

Para ouvir o Mestre desta forma, só acreditamos no que vemos e sentimos, porém em nossa “imaginação” não confiamos, não aceitamos ser do Mestre tal conselho, principalmente se este for contra nossas vontades, aí surge o temido Diabo, Satanás e outras baboseiras para dificultar o entendimento, culpa nossa também, e desta forma nunca saberemos a verdade pendente e de que precisamos solução.

Colocamos o Diabo sempre à frente de Deus quando este fala coisas sérias que não nos agradam, haja visto que neste mundo há mais coisas a não nos agradar do que a nos fazer felizes, numa linguagem carnal e materialista.

Porém na visão espiritual Deus sempre fala a verdade, através de nossos pensamentos; de bocas alheias ou até mesmo em sonhos, nunca criaria uma inverdade para nos agradar ou para nos amedrontar.  É sua forma correta de agir para conosco.

Quando se fala de Deus nos dirigindo a palavra, se fala da centelha divina a nos confabular; da centelha interior, o grão de mostarda a nos dizer das verdades, ou mais, de nossa verdade individual; e se nos recusamos a entender disto; estaremos sim dando vida ao Demônio que sempre nos atrapalha, se não compreendermos as mensagens sábias que nos chegam, e vem de nosso interior puro, estamos fazendo com que o monstro a que aos tolos ludibria e faz crer, existir.

Esta é uma criação nossa e não do mundo materialista, não do lado sombrio da humanidade, mas criação individual, criação de cabeças fracas em aceitar uma verdade que não seja de seu agrado.

O Mestre não tem obrigação de nos dizer o que agrada, mas o que nos faça bem, mesmo que pareça para nosso mal-estar.

O GRANDE ARQUITETO

bnuigfvu

Acredito que a descoberta do grande arquiteto em nós, é a verdade que muitos se negam a acreditar, que se recusam a observar durante sua peregrinação por este plano. Porem se fôssemos sinceros com nossos corações, porque acredito que é lá que o mestre dos mestres reside, teríamos sempre o juiz certo para todos os momentos, saberíamos sempre o caminho a usar quando de uma encruzilhada na vida.
Filosofia para mim, sempre tem sido ligado ao Mestre e o Criador, não me julgo religioso de qualquer que sejam os segmentos. Sou um cristão que acredita no que disse aquele homem há 2000 anos. Amei suas palavras quando comecei a entendê-las. E hoje; 20 anos depois ainda estou apaixonado por todas as palavras, visto que a cada dia que passa, entendo mais sobre elas; e sua profundidade em mim se torna cada vez mais forte, a religiosidade da humanidade é de se respeitar, porque cada um tem um limite de fé pra acreditar em Deus.

Explicações particulares de si.

TRISTEZA-HOMEM-IMAGEM-GDE

Todas as verdades que acredito de alguma forma vieram espontaneamente, todas as inverdades da mesma forma vieram, basta saber o que seguir o que compreender, e as que não completam minha forma de pensar devo excluir de meus interior, simplesmente porque além de não completarem até atrapalham o aprofundamento de meus conhecimentos.

Sei que tenho de eternizar minha passagem por este mundo, não para que seja louvado mais além, mas para que seja reconhecido por minha nova encarnação e tomados os conhecimentos deixados, possa reassumi-los e conduzir o que tinha se iniciado e por ventura não completado.

Tenho que ser também que ser lembrado pelas façanhas e boas aventuras que proporcionei aos que aqui deixarei; mesmo que estes com o tempo esqueçam de mim, mas pelo tempo que se lembrarem só boas recordações terão, só momentos de paz ao meu lado sentiram.

E que nas futuras encarnações possa eu viver muito mais em conteúdo e densa contribuição que fiz nesta. Assim a cada passagem mais rico em conquistas espirituais serei, mais sabor pela vida terrena terei, e ajudar aos irmãos que aqui não conseguem progresso interior por suas mentes estarem obscurecidas de tantos enganos, tantas blasfêmias ao Demônio, que acabam por odiá-lo sem saber ser ele seu lado obscuro que jamais procuraram eliminar.

Tantas coisas digo, tantas vontades coloco, mas acredito que de sonhos bons se vive e de sonhos maus se morre prematuramente antes do desencarne; e no alimentar estas boas ações que desejo, vou crescendo em meu conceito e na felicidade que consigo produzir, independente dos acontecimentos externos, dos rancores pela vida que campeia por tantos corações, não somos obrigados a viver o que o mundo nos coloca, apenas a conviver ao lado, pois temos nosso livre arbítrio, e só nos envolvemos no que não nos faz bem se precisarmos deste veneno ao espiritual, emocional ou físico para dar valor a este que estamos prejudicando.

Deste modo penso, e acredito que muitos mais também, ou se tem hoje censura a uma das colocações, um dia se darão conta que estou certo, ou muito melhor, terão suas próprias formas de entender o exposto, mas que sejam direcionadas pelo coração puro e ausente de maldade por este mundo.

Quero voltar a confiar.

cropped-cropped-michelangelo.jpg

Quero ter respeito, paz, confiança, crer que o dia de amanhã será melhor que hoje, entender que ontem não fui sábio o suficiente, que não entendi o quanto deveria.
Saber por que não fui terno o bastante.
Ou até sábio para entender o porquê de hoje ser desta forma.
Figura indeterminada em planos a realizar, em ideias a compreender e até mesmo respeito a merecer.
Atuo de forma intransigente, até inclemente com quem não merece.
Porem e minha forma de ser, de me fazer existir.
Errado estou?
Sim, sei que estou.
Mas fazer o que, se meu tempo de amadurecer já cessou.
Hoje adulto ignorante tornei-me, insuportável ser que todos tem de conviver.
Entendo que muitos não me suportem; não me querem perto.
Pois também detestaria quem fosse assim, tão mesquinho no desejar.
Pessoa de índole duvidosa sei que sou, nem sei por que sou também.
O que aconteceu comigo?
Perdi parte da minha vida ouvindo quem não deveria?
Quem nada de bom à minha vida somaria?
Acredito que sim, naquela amizade que me ensinou só maldade.
Não sabia reprova-lo, ou reusá-lo em suas atitudes.
O que ganhei foi ficar igual a ele, inconsequente, ignorante.
Pertenço hoje ao mundo dos irresponsáveis, dos intransigentes e inconsequentes.
Porem sinto-me diferente do que sou.
Um avesso de mim mesmo, não me aceito apesar de ser assim.
Talvez um dia compreenda em que esquina da vida me perdi.
Que estrada correta deveria ter transitado.
E amizade indevida evitado.
Até lá terei de me suportar; e as criticas de outros à minha pessoa.
Já orei para um caminho do bem voltar.
Mesmo sabendo que isso pode não acontecer, nem existir.
Porem sou insatisfeito com minha maneira de ser, de viver, de me aguentar.
Mas me falta motivação.
Encontrar uma solução, até mesmo uma explicação.
Então continuo neste despertar do ódio alheio com minhas atitudes.
Insuportáveis brincadeiras e maneira escusa de ganhar a vida.
Disseram-me procure Deus, procure a virgem Maria.
Que tolice, isso não existe.
Se estes existem não me deixariam por esta trilha prosseguir, por este caminho sujo enveredar.
Mas mesmo assim sei que algo neste mundo de grande está a governar.
Já imaginei ser eu um ateu.
Meus pais ensinaram que Deus existe.
Mas então porque assim fiquei?
Mesmo sabendo orar?
Mesmo acreditando naquele tempo em Deus e outras coisas?
Fui abandonado por Ele?
Fui esquecido por mim?
Ou tudo é forma de punir pelo que num sei se fiz?
De qualquer forma desaconselho a todos que não sabem de seu futuro, trilharem caminhos que desconhecem se forem levados por “mãos amigas”.
Posto que uma destas “mãos amigas” me trouxe até este mundo, de escuridão, de perdição, e como sair daqui não sei, porque esta “mão amiga” me abandonou quando viu ser eu inútil a ele.
O algo que se acredita, que só critica quem conhecemos e nos promete tudo da vida, só nós que acabamos com a vida.
Se em minhas orações de criança ainda estivesse me entregando até hoje, nada disso passaria; nada me tentaria, e tenho certeza que minha existência seria de gloria a mim, e a meus pais.