O PRAZER DE MENTIR; OU UMA FORMA DE VIVER ?

timthumb.php

As dores da verdade são dolorosas por demais se sempre vivemos de mentiras; porque estas atraem, fazem bem ao ego que quer ser moldado desta maneira.

Não se luta por uma verdade se esta vai contra nossos desejos, se queremos bem próprio mesmo sabendo que seja momentâneo. Tudo que possa a nós beneficiar é sempre bem-vindo, mesmo que seja uma mentira a prejudicar pessoas que dizemos amar, mas neste contraponto mostramos ao mundo, menos a nós, que não a amamos.

Mentira é retrato da verdade de uma pessoa; o que seu íntimo sempre pleiteou de bem estar a si, e se não consegue se manter no caminho da verdade; é uma pessoa infeliz e sem futuro, porque teve um passado sem boa semeadura.

A mentira atrai porque infla o ego, torna o ser dono de uma situação que jamais seria de seu domínio se fosse sensata e honesta.

Torna a pessoa longe de gratas conquistas, de possibilidades interiores grandiosos; e afasta todos de boa índole, mesmo as que desejam lhe ajudar a sair desta situação de podridão moral.

A mentira é câncer que propaga pelo universo interior, corrói possibilidades e cega boas intenções alheias; instiga a envenenar a verdades por mais que esta lhe seja benéfica, porque vai contra seus torpes princípios; a menos que possa levar alguma vantagem.

A mentira é seu bem estar porque não saberia viver olhando a paz interior alheia; não saberia lidar com seus sentimentos se tivesse que explica-los a si mesmo, então camufla-os em autossuficiência para se suportar; visto que uma autoanalise sincera destruiria seu íntimo emocional.

Mentir é criar o Diabo em si, provocar sua existência de forma tão densa que este passa a existir e dominar; o lado perigoso do ser, o da autodestruição, posto que todos os valores se tornam ínfimos quando a dominação do inexistente passa a ser total.

A preocupação com o mundo deixa de existir, se este nada tiver de proveitoso a si; levando o ingrato nas promessas do Criador a se enveredar pelo universo da escuridão, que demorará por demais a ser iluminado novamente pelo Cristo, porque este como que expulso desta pessoa nada poderá fazer.

Orações de nada valerão, porque o coração está envenenado, os sentimentos adormecidos, e a auto preservação até mesmo física comprometida com dissimulações que mesmo não parecendo vão se acumulando nas paredes do coração.

Os sentimentos puros já esquecidos trarão mais e mais frustrações; tornarão frágil a saúde e a dificuldade de sair deste estado de autodestruição se torna mais evidente, porque não deseja abandonar as únicas emoções que dão sabor a sua vida; uma vida de falsas realidades.

A mentira mata, inicialmente sonhos, depois a moral, em seguida enfraquece a saúde pela vontade de ver o desespero alheio e a frustração de não conseguir desejar diferente, e nos estertores da vida sentir que toda sua vida foi uma única mentira, viver a vida que não foi combinada, não se deixou ser guiada pela divina providencia e acreditou piamente no seu Diabo interior, ao qual deu força e poder, mesmo gritando aos quatro ventos não acreditar nele.