O INEXISTENTE COMO DESCULPA AOS NOSSOS ERROS

diabo_thumb[1]

O Diabo em nós existe para nosso crescimento; para que entendamos, exponhamos e eliminemos tudo que ruim somos, através de verbalizações, atos físicos, ou pensamentos. Para que tenhamos a evolução que procuramos; e voltemos puros ao Criador; que se tornará também mais puro.

Este ser de mil faces, mas inexistente se desejarmos, nada pode fazer contra nós, porque a decisão é sempre nossa em evoluir através da cruz mais pesada do que podemos suportar; ou da luta interior em domina-lo com sabedoria, sem maltratar o universo externo e todos que ao nosso lado estão e nada tem com esta guerra interior.

Ele é essencial, porem não necessariamente prejudicial; pois isto só se formos fracos em determinar o certo ou errado; nos mostra os pontos vantajosos e que nos seduzirá, a procura em nós da fraqueza dos pecados capitais.

Ele somos nós, sempre e nunca diferente disto, porque não tem poder, mas nós temos fraquezas, e estas fazem seu papel, criam o inexistente para que sejamos maltratados por nós mesmos, na crença de que somos incapazes da evolução a que nos propusemos.

Vá além do que imagina possa Ele governar e verá que lá não está; vasculhe em si e fora de si com seriedade e não o encontrará; porem tenha receio da vida no mais tolo dos motivos e Ele surgirá forte e invencível, virá para confundir, destruir e eliminar as conquistas até então adquiridas.

Se resguarde em bons pensamentos, em verdades conferidas, em realidades sérias e na fé de tudo que saiba sobre quem habita em ti; e jamais será atordoado por conta de um misterioso que se faz anjo do mal, mas é nosso interior desequilibrado emocional, e nós em nossa incerteza das verdades procuramos dar vida a Ele, para não assumir erros ou incapacidades.

Tudo vem do intimo; o receio, medo, frustração, ódio, rancor e malgrado da própria vida, que costumamos dar a este o nome de Demônio, Diabo e Satanás; quando em verdade se chama ego exacerbado, que não encontra respaldo neste mundo mas tem de se firmar, faz parte de seu carma, de sua índole mais profunda.

Lidar ou liquidar Este só com muitas encarnações, com sabedoria adquirida a muito custo e entendimento de quem deve ser nosso diligente intimo; em caso contrario cada vez mais fundo se vai além do chamado inferno encarnado, até que fiquemos frente a nós “monstro” e passemos a lutar violentamente para não ser mais um nas garras deste que não existe, mas quer nos sucumbir.

O nosso lado negativo que não deve ser eliminado, mas sabiamente utilizado em nosso crescimento espiritual.