COMPLEXA POSSIBILIDADE A SER ENTENDIDA.

õhçgb

Tudo que somos ou podemos ser, é baseado no que passamos; no que desejamos ou o carma a nos administrar.

Tudo que se passa ao nosso redor é consequência de nossos métodos de pensamento, condição emocional ou energias densas a nos perturbar.

Deus é existente por ser energia pura, essência da natureza, nessa essência como anjos caídos que nos tornamos carne para na encarnação probatória de evolução, pudermos voltar à condição angelical, e posteriormente o corpo de Deus.

Em tudo que possamos criticar na vida devemos nos conter, pode ser uma critica ferrenha a nós mesmos; o que não nos levaria ao crescimento que pretendíamos enquanto pre-uterino.

Porem somos defensores da não existência após o desencarne, ou mais precisamente, depois da morte mais nada existe, só a espera pela ressurreição, que coloca milhões de falecidos a milhares de anos esperando por este acontecimento; porem como fica o crescimento espiritual de alguém que não pode evoluir, esperando que aconteça este prometido?

Deus nos fez, ou se fez carne para evoluir através de cobranças cármicas, em verdade éramos puros antes de tudo começado, mas por motivos que vão além de nossa capacidade de compreensão atual, foi necessário este declínio de perfeição para possibilitar o entendimento de algo que não nos era possível enquanto perfeitos. Levando-nos por esta afirmação compreender que não éramos tão perfeitos.

Tudo é como deveria ser, nada extrapola a realidade que Deus assim determinou, assim como leis perfeitas a nos vigiar e cobrar em momentos que no deslize de nossos desejos carnais atentamos.

E no transcorrer de todas as existências vamos angariando conhecimentos, porem não os já tidos desde o inicio deste complexo processo, mas novas diretrizes superiores, entendimentos de novo comportamento de Deus, novos horizontes que a Ele só foi possível o acesso através do invólucro cármico.

A cada ser, ou espirito um entendimento é determinado, coletânea de informações através de uma visão nova dos acontecimentos, experiências que devem enriquecer todo o processo de evolução, mas só será possível tudo em sua devida sapiência, quando todos cumprirem sua missão de estudante neste plano matéria.

E tudo quanto era sabido a muito no passado, deixará de ter tanta importância, exatamente por estarmos substituindo nossos conhecimentos mais profundos através da decadência espiritual, emocional e moral que é a única forma de fazê-lo; para que novas perspectivas, novos entendimentos podermos adquirir.

Tudo isto se reflete na parábola das núpcias de Canaã; onde o vinho bom só foi servido quando todo o vinho anterior tivesse sido consumido ou eliminado. Tomamos o vinho como sabedoria do Cristo em nós, porem temos que eliminar os ensinamentos anteriores já ultrapassados, para absorver o de melhor qualidade, o de mais consistência.

É o momento desta troca de conteúdo em nós desde o inicio dos tempos, pois tivemos bom tempo para trazer os ensinamentos de Deus a este plano para agora avalia-lo em nós e enriquecer com novas perspectivas, com novos detalhes à existência como espirito, e Deus como gerador de toda esta sequencia de acontecimentos.

Tudo embora pareça tola conjectura, derrubada de verdades seculares, não o é; porquanto se cientificamente procurarmos explicações palpáveis a tudo aqui exposto, ficaremos confusos com resultados, porque nem todas as perguntas feitas encontram respaldo dentro da atual sabedoria milenar.

Se colocarmos outras possibilidades, ainda inverdades até que sejam sabiamente compreendidas pela sistemática da pesquisa, poderemos encontrar respostas que à primeira hora parecem absurdas, encaixam mais intensamente às perguntas sem resposta segura de antes.

Somos estudantes, e temos a lei do livre arbítrio a nos regrar, ou mais precisamente nos permitir sair das regras estabelecidas sem sermos punidos por Deus; pois se nos é dada tal lei, estamos resguardados de punições, porque Ele é fiel ao que diz.