Diálogo sobre o amor

-Mestre fale-me sobre o amor, sobre tudo que devo saber para poder muito amar.
-Minha querida, pouco se tem a falar sobre o amor, porque tudo foi dito e nada de conclusão se pode até hoje chegar.
Muito se escreve, se diz se expressa, porem o sentimento não pôde ser descrito, é apenas emoção.
Tudo quanto possa lhe falar já foi dito; tudo quanto possa acrescentar não é de minha boca que saem estas palavras pela primeira vez.
Mas procurarei dizer o que não foi contado até então, tentarei ser singular em minha explanação.
O amor é descoberta do nosso calor, de nosso poder em ser alguém para outro alguém; é tentar e às vezes conseguir ser alguém até a nós mesmos.
O amor é ver o que os olhos não veem; se respeitar sem saber por que, tendo a certeza que vale a pena esta pessoa.
Procurar se segredar que ama de verdade, procurando não se confundir com emoções que não valeriam manter naquele momento, tipo amizade.
Amar é desmembrar a paixão da carência, a coerência consciente da incoerência sentimental; é viver sem saber o que esta sentindo, apenas porque o corpo age de forma descontrolada ao nosso comando.
Amar é se procurar em outro, e sempre se confundir com as reações físicas e hormonais.
Adivinhar o que a outra pessoa acha de nós, e somente encontrar qualidades, visto que aos nossos olhos, os olhos dele só veem qualidades.
Assim que é o amor, duramente mostrado por quem procura a verdade no amor, com mais curiosidade que sentimento.
-E tu mestre como vês o amor?
-Sempre sinto o amor, sempre cultivo o amor, sempre falo do amor.
É a procura de si em outro ser, é entender que quem nos afeiçoa saiba de nossas verdades ainda não descobertas por nós.
E procurar nesta aproximação o entendimento do que possa nos tornar um novamente, é a outra parte que Deus se desmembrou e que só se completa em dois.
Amor é a prioridade neste mundo, é procurar voltar às origens, somos dois em um, Deus em duas pessoas e desta forma tem de entender.
Amor é a presença de Deus em nosso organismo, tanto físico como emocional; e só procuramos esta emoção quando desejamos nos aproximar de Deus através de outra pessoa, através do sexo por paixão que se desenrola, através da emoção que dispara o coração; o amor é a presença viva e necessária do Criador em nós.
Estarei eu exagerando?
Não; experimente amar verdadeiramente e viverá a felicidade, a paz, a sinceridade, e até mesmo a humildade de pertencer à outra pessoa, sem reclamar por um momento se queira.
O amor é tudo isso ou só isso, depende de cada ser vivente; é tudo isso porque o interior romântico completaria minhas outras frases, ou é só isso se acreditar que há muito mais a dizer sobre o amor, o que nos dois casos tem o mesmo sentido.
Ninguém até hoje deu a compreensão final sobre o amor, ser algum conseguiu explicar definitivamente o que é o amor.
-E porque mestre ninguém conseguiu até hoje explicar o amor de forma a não deixar duvidas?
-Simplesmente porque ao explicar o amor, estará o ser humano explicando a Deus; dirá quem é ele, saberá de suas profundidades filosóficas e suas magias da existência.
Explicar Deus ou o amor é a mesma coisa, é o mesmo sentimento, a mesma verdade, pois os dois não existem em separado, os dois são um só; e é desta forma que vejo o amor; a profundidade do ser em si mesmo.